16 setembro 2007

Processo Reencarnatório

Processo Reencarnatório

Cada um leva para a outra vida e traz, ao nascer, a semente do passado. Essa semente há de espalhar os seus frutos, conforme a natureza, ou para nossa felicidade ou para nossa infelicidade, na nova vida que começa e até sobre as seguintes; uma só existência não basta para desfazer as conseqüências más de nossas vidas passadas. Ao mesmo tempo, os nossos atos cotidianos, ponte de nossos efeitos, vem juntar-se às causas antigas, atenuando-as ou agravando-as, e formam com elas um encadeamento de bens ou males que, no seu conjunto, urdirão a teia do nosso destino.
O homem constrói o seu próprio futuro.
Reencarnação nem sempre é sucesso expiatório, como nem toda luta no campo físico expressa punição.
Suor na oficina é excesso à competência.
Esforços na escola é aquisição de cultura.

Fase Preparativa

Ocorre, nesta fase, na dimensão extrafísica: Escolha dos futuros familiares e pais biológicos, em função de compromissos, comprometimentos e vinculações cármicas:

• Estabelecimento do programa geral de futuras realizações e autorealizações no plano físico, tendo em vista os objetivos educativos a serem atendidos;

• Prévia escolha ou determinação de sexo genético, que se verifica de acordo com a respectiva sexualidade e características genético-espirituais do reencarnante e segundo determinantes cármicos conscienciais preexistentes, tendo em vista futuras realizações;

• Definição do tipo de reencarnação: compulsório ou de livre escolha; provacional; expiatória; sacrificial ou missionária.

• Execução do plano de associação e vinculação psicodinâmica, bioenergética, mental e afetiva - essa fase inclui os futuros pais gestantes e demais familiares, segundo as necessidades de harmonização, entendimento, apoio mútuo, afinidade, sintonia e ressonância.


Em conseqüência das necessidades e exigências específicas de bem cumprir os imperativos naturais das leis da vida, já citadas, nessa etapa da fase preparatória, o Espírito candidato à nova reencarnação passa a conviver no clima psicofísico e emocional dos futuros pais em especial, interagindo dinamicamente com os mesmos, procurando estabelecer as melhores relações de sintonia, afinidade e ressonância indispensáveis ao êxito da concretização do complexo e laborioso planejamento reencarnatório. Múltiplas operações bioenergéticas e magnético-espirituais podem ser realizadas pelos espíritos construtores nas intervenções que se fizerem necessárias na organização perispirítica do reencarnante. Para poder efetivar a ligação com a célula-ovo ou zigoto, a partir da fecundação propriamente dita, ocorre previamente no plano extrafísico, a miniaturização, que se caracteriza pela redução da forma perispirítica.

Com base na análise dos mapas cromossômicose organogênicos, tais intervenções se fazem no sentido de orientar a modelagem bioenergética e genético-estrutural referente à embriogênese e morfogênese do futuro corpo físico, em consonância com a herança cármica e o programa de realização na nova experiência reencarnatória.

Efetuadas as operações de imantação e ligação do perispírito da consciência do reencarnante à célula-ovo, no terço médio da trompa de Falópio, segue-se a nidação no útero materno, com a participação mento-afetiva dos pais gestantes e do filho ou filhos reencarnantes.

Sintonia com o Perispírito Materno

À medida que o espírito se conscientiza da necessidade de renascer no cenário físico, inicia-se todo um processo de acompanhamento e orientação especializada no evento. Como temos, no planeta Terra, as
Maternidades com ampla estrutura para acolher o recém chegado, no Plano Espiritual existe a correspondente equipe especializada que acompanha aquele que parte. As obras de André Luiz se referem à existência, na Colônia "Nosso Lar", do Ministério da Reencarnação, que coordena estas equipes.

Nos espíritos relutantes, que temem renascer e se recusam a receber o preparo necessário, há intensificação do desgaste de suas unidades energéticas e o torpor conseqüente os impele, compulsoriamente, ao retorno. Algo como se definhassem, morressem para a vida espiritual...
O organismo feminino é o privilegiado ninho que receberá o espírito reencarnante. As ligações afetivas ou os desafetos do passado, presos emocionalmente pelos vínculos energéticos, atraem a entidade ao campo vibratório que se lhe afiniza.

Além da ligação espontânea que se verifica, as equipes especializadas passam a dar assistênia e promover a progresiva ligação fluídica do espírito com os fluidos perispirituais da futura mãe. Desta aproximação vibratória do espírito à "candidata" a recebê-lo origina-se uma crescente interpenetração fluídica entre ambos. Estabelece-se um intercâmbio energético nas duas direções, com efeitos bilaterais. O espírito vê-se envolvido na malha energética que o prende suavemente como que expressando um convite ao regaço materno.

As ligações energéticas do espírito em vias de encarnar, que estavam ligadas superficial e globalmente ao perispírito materno, passam, num estágio, a se afunilar progressivamente, dirigindose para a região do aparelho reprodutor feminino, estabelecendo ligação mais forte com chacra genésico especializado para esta função. A esta altura, o envolvimento ainda não se efetuou ao nível de corpo biológico materno, mas os fluidos do espírito já buscam adentrar à matéria, irradiando sobre as células físicas pela sua simples presença.

No momento seguinte, a ligação da entidade reencarnante se fará através de suas expansões energéticas ao fluido vital do óvulo materno.

Como sabemos, todas as células vivas irradam um campo energético, decorrente da presença desta energia vital nelas existente. Esta energia vital é que confere o princípio vital ou princípio de vida a todos os seres biologicamente estruturados.

A semelhança semimaterial, ou energética, entre o fluido vital do óvulo e os fluidos perispirituais da entidade reencarnante é que permite a ponte necessária para se estabelecer a conexão indispensável à imantação do óvulo. ... o óvulo ainda não fecundado, magnetizado pelo envolvimento dos fluidos perispirituais do nosso personagem principal: o espírito reencarnante.

O óvulo assim magnetizado permanece irradiando, refletindo as energias do espírito. Passará a espelhar o padrão energético que traduz a real situação evolutiva do espírito. Conforme seu adiantamento moral e intelectual, expressará uma determinada freqüência de ondas em suas vibrações, que se refletirão nas energias que o óvulo irradiará envolvido por esta influência.

(Do livro "Gestação: Sublime Intercâmbio”, de Ricardo Di Bernardi).

Influências no Processo Reencarnatório:
.
Espíritos Perturbadores: Desafetos, inimigos espirituais do espírito reencarnante ou dos pais.

Mãe Encarnada: Relação anímica, mediúnica, psico-afetiva e biológica (herança genética e gestação).

Pai Encarnado: Relação anímica, madiúnica, psico-afetiva e biológica (herança genética).

Espíritos Geneticistas: Espíritos de elevada hierarquia espiritual que atuam na relação afetiva-espiritual e no desenvolvimento do genótipo do reencarnante.

• O planejamento reencarnatório envolve complexas medidas dinâmicas e teledinâmicas de natureza bioenergética no plano extrafísico, de acordo com a "Genética Espiritual" e lei de Ação e Reação que estabelecem as condições orientadoras na execução do plano reencarnatório individual, de modo a permitir que cada Espírito herde de si mesmo, com a contribuição de seus pais no plano físico;

• Tal planejamento é orientado e administrado nos planos extrafísicos por entidades de elevada sabedoria e hierarquia espiritual. A maior parte da humanidade terrestre, encarnada e desencarnada, ainda se encontra nos primeiros estágios de evolução. Goza de autonomia muito restrita e não tem condições de usar o livre-arbítrio com discernimento;

• Quanto maior for o grau de evolução consciencial ao longo de seu continuum histórico palingenésico maior será a participação direta do espírito reencarnante em todas as fases do planejamento e execução de sua própria reencarnação, sob a assistência técnica dos "geneticistas" e "embriologistas", podendo participar da modelagem do futuro corpo físico, em obediência às leis da "herança espiritual" condicionantes da herança psicofísica biológica.

O Espírito encarnado ou desencarnado é assistido nas suas necessidades de auto-realização e progresso, de acordo com a lei de merecimento;

O Espírito candidato à nova experiência reencarnatória no plano físico passa por uma fase preparatória de análise e auto-análise através de um processo de profunda introspecção, mediante uma visão retrospectiva de sua história pessoal, valendo-se dos registros de sua memória absoluta, vê com clareza e em detalhes esclarecedores as ações pretéritas, podendo ser assessorado pelos mentores no planejamento de um novo projeto reencarnatório. Após esse exame analítico consciencial, cada espírito entra em uma nova etapa de programação da futura existência, em função de sua herança espiritual;

Providências gerais e específicas são tomadas no sentido de conjugar harmonicamente o livre-arbítrio e o determinismo da lei de causa e efeito, objetivando sempre o progresso e o aperfeiçoamento individual e coletivo;

Em obediência à lei de sintonia, afinidade e ressonância, cada espírito encontra-se ligado ao respectivo grupo familiar e racial, ao seu povo ou nação;

Desse modo, a escolha do grupo familiar e dos futuros pais obedece aos princípios gerais das leis citadas, em consonância com a respectiva herança consciencial, psicológica e espiritual. Essa herança fica registrada na memória genética perispirítica através das matrizes Psi dos respectivos genes. Estes irão se expressar por meio do genótipo ou fenótipo no plano biológico, através da organogênese do futuro corpo físico, com a contribuição biogenética dos respectivos pais.

10 comentários:

Cecylia disse...

Olá, tive uma experiência muito ruim no ano passado, perdi meu bebe com 7 meses de gestação com morte intrauterina, tenho 40 anos e uma filha de 8, não consigo aceitar o fato, porque tinha que ser comigo, o que eu fiz de errado. No lugar onde moro, tenho 4 vizinhas que estavam grávidas na mesma epoca, uma solteira, a outra amasiada, a outra traiu o marido, e uma tentou se jogar do carro em movimento, não dando valor algum a sua gravidez, e sabe o que aconteceu com os bebes delas, nada todos nasceram, só o meu morreu.
Não consigo entender porque Deus, foi por elas, e me deixou passar por isto, sou casada, enquanto elas viviam no pecado.
Assim que fiz a cesarea, não consegui ver o bebe, não consegui entender o motivo até hoje, não sei se foi por medo, decepção, mas hoje me arrependo, era um menino.
Esta criança, era meu inimigo, porque me fez sofrer tanto, soube que ele estava com dilatação no ventriculo da cabecinha, com 5 meses de gestação, que se transformou em hidrocefalia aos 7 meses, mas eu cria que Deus pudesse curá-lo.
Gostaria de saber o que aconteceu de fato, este bebe desistiu de nascer, é isto, dizem que tudo esta combinado antes mesmo de ele nascer, mas realmente duvido disto, não aceitaria passar pelo que estou passando de jeito nenhum, preferia que ele estivesse comigo, ainda que não fosse perfeito.
Se tiver algum livro para me indicar exatamente sobre este assunto, eu queria ler algum livro específico sobre a perda fetal ainda no ventre. Gostaria de saber realmente a verdade.
Muitas mulheres que perderam seus bebes tem a mesma dúvida e ninguém consegue dar uma resposta.

Laísa disse...

Oi Cecylia,
Por que achar que você fez alguma coisa de errado?
A vida possui diversos caminhos e rumos que nós, ainda presos ao nosso cotidiano e a nossa vida de acordar, tomar café, trabalhar, ainda não temos a capacidade de entender.
Não compare o que aconteceu com você e com outras mães. Elas não são menos merecedoras do que você por terem tido seus filhos. Cada uma com sua história.
Seu bebê recebeu todo seu amor e carinho enquanto esteve com você, e é isso o que importa. Talvez fosse apenas disso que ele precisasse, de 7 meses ao seu lado; aliás estou falando em "apenas isso", mas para ele, esses 7 meses podem ter sido a mudança de uma vida toda(vida no sentido mais amplo possível).
Ore por ele e deixe o que passou, passar...

Muita Paz!

Lucianna disse...

Ola,
Eu tambem passei pela dor da perda, foram 4 bebes que se foram, ou melhor, vieram e cumpriram suas missoes. Na primeira perda eu questinei muito Deus, fiquei de mal com ele e nao queria rezar (sou mulcumana), na segunda e terceira tb sofri muito mas comecei a entender e aceitar que EU concordei em passar por isso, eu ja sabia o que viria pra mim nesse plano e concordei, entao tenho que aceitar o meu destino e mudar apenas o que posso. Nao posso negar que a perda e dolorosa mas Deus tem sido muito generoso conosco, logo apos a terceira perda parssei por uma cirurgia e descobri que nao poderia ter filhos de forma natural, teria que fazer FIV e foi nesse momento que comecei a ver o quanto Deus tem nos ajudado, na eposcas das 3 primeiras gestacoes nos nunca poderiamos arcar com os custos desse tratamento, mas Ele nos beneficiou com um trabalho muito bom para o meu marido, dinheiro mais que o suficiente para continuarmos tentando. Em marco fizminha primeira FIV mas nao foi daquela vez, em Maio fiz a segunda e conseguimos engravidar, porem com 11 semanas nao foi detectado os batimentos cardiacos do feto, sofri muito, tive que fazer uma curetagem, que a proposito me culpo muito, nao queria ter feito, sofri muito antes e tento aceitar o fato de ter feito, queria que tivesse sido natural, queria ter certeza que nao era mesmo a hora dele, e pesso muito a Deus que me perdoe se eu tiver tomado a decisao errada.
Como disse antes, Deus tem sido muito generoso conosco, e na segunda FIV nos conseguimos 10 embrioes, 4 fora tranferidos para a gestacao que deu positivo porem nao evolutiva, e com isso temos 6 embrioes congelados, ou como eu os chamo, meu picoles. Iremos fazer a tranferencia em outubro.
Eu nao sei se sera dessa vez, nao sei se terei um resultado positivo e se tiver se gestacao ira ate o fim, a unica certeza que eu tenho e que tem alguem esperando pra vir pra essa familia, alguem que ja faz parte dela a muito tempo, e eu espero por ele ou ela ansiosamente.
Nao sei o que foi que eu fiz ou nao fiz, nao sei o porque de ter que vir pra esse plano e passar por isso, mas como eu disse antes, eu aceitei tudo isso e agora eu tenho que ter paciencia ate ele ou ela me aceita ou melhor nos aceitar.
E so pra terminar, eu nao fico maise mal com Deus, converso muito com ele, pesso pra cuidar e iluminar esses espiritos que nao vieram e para cuidar deles, pois pra mim eles serao sempre meus bebes que nao nasceram, que eu ja amava e sabia que ele estava aqui antes mesmo de fazer o teste de gravidez

Israela disse...

Oi,

Perdi uma filha em março/2008 e em maio/2009 tive um filho, fisicamente ele é muito parecido com minha filha que faleceu e começa a desenvolver também aparencias no jeito de ser, ele é calmo como ela, sente muito calor, desenvolveu a mesma alergia e o que mais me impressiona é uma expressão no seu olhar que parece ser minha filha me olhando, será possível que minha filha tenha reencarnado? Tenho outro filho que tem características completamente diferentes tanto fisica quanto psicológicas.
Abraços
Israela

Anônimo disse...

Olá, gostaria de ecrever aqui minha experiência, diante do desespero me senti uma pessoa fraca, sou casada com uma pessoa que até então eu achava boa, mas hoje meu olhos a vê de outra forma, é uma pessoa extraordinária, maravilhosa e sem palavras para expressar o que até então eu não acreditava que tanto sentia, o amor por ela e pelo filho, um anjo também que hoje dou mais valor, porque é tão difícil para nós humanos aprendermos a dar tanto valor as coisas depois que perdemos outras porque meu Deus, eu tomava meu anticocepcional todo mês certinho pois estava com uma cisto no ovário esquerdo e precisava eliminálo, porém em dezembro esqueci de tomar o remédio e decidi esse mês não vo tomar no mes que vem eu tomo minha menstruação é desregulada e eu com o cisto achava que nao engravidaria mesmo, hoje me lembro de um fato interessante que no minha última menstruação foi dia 01/12/2009 e em naquele mês comecei a sentir umas dores nos seios falei com meu marido, estou grávida, tenho certeza, fiquei um pouco assustada mas pensei chegou a hora meu filho já estava pedindo para papai do céu um irmãozinho meu marido ficou muito feliz tambem, por que as coisas acontecem não sei, mas antes da concepção desta criança nós brigamos muito e falamos até em separação, e tenho certeza que no dia em que foi gerada para vc ter uma idéia eu iria fazer um concurso em uma cidade próxima, iria viajar e não fui, foi a nossa reconciliação e concepção desta criança, em 01/2010 confirmei a gravidez, fiquei feliz mas eu tinha dúvidas se deveria ou não engravidar, mas pensei no fundo do coração e com amor, se Deus quiz que fosse a hora então é agora, fiz o primeiro ultrasson esta bem fixado fiquei tranquila com isso comecei a cuidar mais de mim, na segunda consulta minha médica mediu minha pressão e estava alterada me pediu m holter aquele exame de mapa de pressão que vc fica com um aparelho 24 hs medindo a pressão e a minha no limite, e como na gravidez anterior eu engordei muito e tive pré eclampsia, meu Deus como eu me descuidei de meu corpo e agora eu vou receber uma criança, tem que estar bem procurei uma nutricionista pois estava decidida a cuidar mesmo de mim para receber este filho, em uma consulta e foi quando me pediu o ultrasson da translucencia nucal eu já estava com 14 semanas e estava no limite para fazer este exame, me perguntavam o que eu queria eu falava que tanto faz pois se viesse com saúde era o que mais importava, mas no fundo dese do início acho que estava escrito que seria uma menina desde o dia da reunião na escola de meu filho, no dia 09 março fui a uma clinica e marquei até com a médica que eu já tinha costume de fazer ultrasson, e neste dia me lembro como se fosse hoje que ela começou a demorar e eu pensei será porque pois no ultrasson do meu filho foi tão rápido que cheguei a achar que foi um absurdo de tão rápido na primeira gravidez quando ela mediu a nuca do meu 1º anjinho e disse que estava tudo bem, e agora meu DEUS porque a demora? Então ela me disse que eu teria que repetir aquele ultrasson pois ela poderia estar enganada pois achava que o bebê estava com um problema, perguntei o que era e me disse ANENCEFALIA, vc sabe o que significa isto? CONTINUAÇÃO

Anônimo disse...

CONTINUAÇÃO O bebê está formando sem cerebro aliás pde até ter um pouco mas como não formou os ossos do crânio para proteger o líquido aminiotico pode até corroer o que tem, mas fique calma que vamos confirmar isto, me lebro perfeitamente das suas palavras as primeiras que me marcaram muito, olha eu sou muito católica e defendo profundamente a vida mas infelizmente neste caso do seu bebê não adinata fazer nada pois ele já tem uma morte celebral, me falou que no Brasil alguns casos desses podem ser feitos a interrupção da gravidez, pronto me marcou um retorno para 15 dias, saí da clínica meio em estado de choque e chorando cheguei em casa em Cuma tristeza profunda meu irmão estava em casa e chorou comigo e por incrivel que pareça ele esta fazendo direito e tinha feito uma trabalho a respeito da ANENCEFALIA, me explicou tudo o que acontecia, busquei vários assuntos na internet, vi fotos mas não acreditava que aquilo acontecia comigo, naquele dia na hora do almoço contei para meus pais, nós sempre almoçamos juntos e aquele dia parecia que não teria fim, resolvi ligar para a clinica novamente e a recepcionista falou que tinha um especialista em medicina fetal e marcou um ulltrasson de urgencia para o dia seguinte, naquela noite meu marido não me ligou fiquei aliviada pois não sabia o que ia fazer ou como contar para ele fiz outro e ele me falou que era aquilo mesmo e então naquela tarde liguei para meu marido e falei que nosso bebe estava com algum problema mas que eu teria que repetir o ultrasson mas ficamos muito tristes e ele me falou Olha se Deus mandou esse nenem para nós ele é nosso de qualquer jeito nós aceitamos tudo que ele quiser, sempre achei que nestas oras difíceis meu marido tinhha mais fé que eu , mas no outro dia fui a outra clinica e novamento outro diagnostico perfeito, num total sei que fiz 08 ultrassons, nos últimos fui a um medico que era espírita, mais velho e conversou muito comigome disse que em todos os anos de medicina já viu vários casos e que é muito triste e como eu já havia conversado com minha médica que não foi a medica do meu primeiro filho pois por motivos terrestres esla estava mudando o consultorio e nao estava marcando consulta, essa minha médica atual acho que peguei até ela de surpresa pois perguntei o que ela faria, ela falou comigo abertamente que tiraria esta criança pois além de não ter chance de vida poderia e já estava fazendo mal pois minha pressão subia e descia e diante do quadro da pre eclampsia anterior o meu risco estava declarado se eu seguisse adiante, minha cunhada estudante de medicina falou para que eu tirasse de qualquer jeito e nim dos ultimos ultrassons que fiz consultei a um médico antigo da família e que é espírita e curou a miha avó então a família toda confia demais nele, quando ele me confirmou novamente a anencefalia virou para mim e disse agradeça a deus por isso que vc esta passando não sabemos o porque mas vc foi escolhida para passar pela situação e de coração vc deverá tirar esta criança pois ir até o final seria uma loucura POR CAUSA DA PRESSÃO ARTERIAL, CONTINUAÇÃO

Anônimo disse...

CONTINUAÇÃO pensei meu deus como eu poderia pensar numa coisa dessas porque meu deus porque , e passou um tempo meu irmao fez para mim o processo e me disse olha se vc conseguir isso será pela sua saúde e não por causa do bebê pois no Brasill a anencefalia ainda não está aprovada o caso de aborto, eu e meu marido conversamos muito, meu deus como já chorei e ainda choro por tudo isso, marquei e consultei com meu marido pois já tinha consegui a liminar para fazer a INTERRUPÇÃO TEREPETICA DO PARTO, com o alvará nas mãos e com a segurança da minha antiga médica me internei no hospital, pedindo a deus todo momento que me amparasse naquela hora de medo, de angústia, e passei por tudo pelo preconceito médico,minha FILHA nasceu nas minhas mãos e eu mesma a peguei assim que nasceu e pedi perdão a ela naquele momento de angustia pedi perdao a deus porque eu sei que não fiz uma coisa boa, fui egoista ao pensar somente em mim, fui egoista como nunca havia sido em toda minha vida, porque meu deus não tive a capacidade de amar aquela criança por que eu sei que uma mãe por amOr a seu filho ela morre e dá a sua vida, e tento compreender porque meu deus eu não dei a miha vida pela MINHA FILHA se fosse um bebe normal e eu tivesse que tirar da mesma forma por causa da minha pressão acho que neste momento de difícil escolha, mas porque meu deus o Senhor quis que eu passasse por isso (conheço também que eu posso e fiz minhas escolhas, livre arbitrio) mas eu mesmo me condeno por isso pois hoje não sei que por estar recente (dias) eu esteja sentindo que fiz a coisa errada nao sei pois minha pressão chegou a 17 por 12 eu começei a ver luzes e minha boca a ficar dormente, ainda nao sei se fiz a coisa certa se tinha realmente que ser assim talvez eu aceite pensar que deus me enviou esta criança para me salvar a aprender a dar mais valor as coisas que ele me dá, recebo isto senhor como prova de seu amor por mim pois sei que o senhor nao me desampara, estou pedindo pela alma desta criança dia apos dia que ela tenha muita luz, se refaça do mal que eu causei a ela, peco perdão pelo que fiz e quem saiba se for um espirito de luz e me entender que ela venha para mim novamente QUE DEUS PERMITA ISSO, para que a partir deste momento eu possa conseguir ser mais forte no seu amor, peço orações de muita luz por mim e pela minha FILHA para que o caminho da vida e não do da morte seja seguido. ME AJUDEM POIS AINDA NÃO TENHO O ENTEDIMENTO DE PORQUE NÓS TEMOS QUE RECEBER CRIANÇAS DESTA FORMA PORQUE ?..........

GEAL - Grupo de Estudos André Luiz disse...

Amigos, a vida tem caminho que ainda estamos longe de entender. Vamos caminhando, fazendo o nosso melhor, orando por esses anjos e acima de tudo ESPIRITOS que tambem possuem sua historia e seu caminho.
Deus abencoe a todos!

Anônimo disse...

Gostaria de saber o que faz uma pessoa virgem de 32 anos, que nunca namorou perder o útero por causa de um miomo intramural de quase 2k. E que sempre quiz casar e ter filhos.

Sáskia Pimenta disse...

Livro dos Espíritos, questão 359: Dado o caso que o nascimento da criança pusesse em perigo a vida da mãe dela, haverá crime em sacrificar-se a primeira para salvar a segunda?
"preferível é se sacrifique o ser que ainda não existe a sacrificar-se o que já existe."

Acho que esta questão exime de culpa o aborto por questões de perigo de morte da mãe. Por mais difícil que seja, é preciso vivermos a vida da melhor forma que pudermos pois se não formos merecedores nessa vida de termos nosso bebê tão querido e amado que tentemos ser merecedoras dele na próxima encarnação.

O sofrimento é nosso amigo se escolhermos aprender com ele.

Muita luz para todos!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails