01 dezembro 2007

Resumo "Missionários da Luz"

MISSIONÁRIOS DA LUZ
.

ALEXANDRE - Desejando aprimorar-se quanto à mediunidade, recebe André Luiz o convite do bondoso mentor Alexandre para acompanhá-lo ao seu núcleo, em momento oportuno.Alimentando indisfarçável curiosidade, e surgida a oportunidade, André vale-se da prestigiosa influência para ingressar no espaçoso e velho salão, onde Alexandre desempenha atribuições na chefia.

O PSICÓGRAFO - Conta André: "Entrei cauteloso, sem despertar atenção na assembléia que ouvia, emocionadamente, a palavra generosa e edificante do operoso instrutor da casa.Grande número de cooperadores velavam, atentos. E, enquanto o devotado mentor falava com o coração nas palavras, os dezoito companheiros encarnados demoravam-se em rigorosa concentração do pensamento, elevado a objetivos altos e puros. Era belo sentir-lhes a vibração particular. Cada qual emitia raios luminosos, muito diferentes entre si, na intensidade e na cor. Esses raios confundiam-se à distância aproximada de sessenta centímetros dos corpos físicos e estabeleciam uma corrente de força, bastante diversa das energias de nossa esfera. Essa corrente não se limitava ao círculo movimentado. Em certo ponto, despejava elementos vitais, à maneira de fonte miraculosa, com origem nos corações e nos cérebros humanos que aí se reuniam. As energias dos encarnados casavam-se aos fluidos vigorosos dos trabalhadores de nosso plano de ação, congregados em vasto número, formando precioso armazém de benefícios para os infelizes, extremamente apegados ainda às sensações fisiológicas.Semelhantes forças mentais não são ilusórias, como pode parecer ao raciocínio terrestre, menos esclarecido quanto às reservas infinitas de possibilidades além da matéria mais grosseira."Solicitado por Alexandre junto aos serviços mediúnicos, André fica inteirado da complexidade de uma comunicação. O mentor designa um grupo de seis entidades, candidatas ao intercâmbio, porém salienta que apenas um médium, em condições perfeitas, se encontra presente à reunião.Objeta André Luiz: "Julguei que o médium fosse a máquina, acima de tudo.""A máquina também gasta - observa o instrutor - e estamos diante de maquinismo demasiadamente delicado."

A EPÍFISE - Conta André: Enquanto o nosso companheiro se aproveitava da organização mediúnica, vali-me das forças magnéticas que o Instrutor me fornecera, para fixar a máxima atenção no médium. Quanto mais lhe notava as singularidades do cérebro, mais admirava a luz crescente que a epífise deixava perceber.
Examinei atentamente os demais encarnados. Em todos eles, a glândula apresentava notas de luminosidade, mas em nenhum brilhava como no intermediário em serviço.Sobre o núcleo, semelhante agora a flor resplandecente, caíam luzes suaves, de Mais Alto, reconhecendo eu que ali se encontravam em jogo vibrações delicadíssimas, imperceptíveis para mim.Estudara a função da epífise nos meus apagados serviços de médico terrestre. Segundo os orientadores clássicos, circunscreviam-se suas atribuições ao controle sexual no período infantil. Não passava de velador dos instintos, até que as rodas da experiência sexual pudessem deslizar com regularidade, pelo s caminhos da vida humana. Depois, decrescia em força, relaxava-se, quase desaparecia, para que as glândulas genitais a sucedessem no campo da energia plena.Alexandre o esclarece: - "Não se trata de órgão morto, segundo velhas suposições. É a glândula da vida mental. Ela acorda no organismo do homem, na puberdade, as forças criadoras e, em seguida, continua a funcionar, como o mais avançado laboratório de elementos psíquicos da criatura terrestre... Enquanto no período do desenvolvimento infantil, fase de reajustamento desse centro importante do corpo perispiritual preexistente, a epífise parece constituir o freio às manifestações do sexo; entretanto há que retificar observações."Aos catorze anos, aproximadamente, de posição estacionária, quanto às suas atribuições essenciais, recomeça a funcionar no homem reencarnado. O que representava controle é fonte criadora e válvula de escapamento. A glândula pineal reajusta-se ao concerto orgânico e reabre seus mundos maravilhosos de sensações e impressões na esfera emocional. Entrega-se a criatura à recapitulação da sexualidade, examina o inventário de suas paixões vividas noutra época, que reaparecem sob fortes impulsos."

DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO - André Luiz, levado por Alexandre, pode observar algumas demonstrações de desenvolvimento mediúnico.Pode assim observar alguns candidatos e suas particularidades: um, apresentava, não obstante o desejo sincero de desenvolver-se para auxiliar, sinais iniludíveis da ingestão de alcoólicos; outra senhora, candidata a psicógrafa, trazia o ventre deformado tão repleto de alimentos, que André Luiz supôs enxergar ali um vasto alambique, cheio de pastas de carne e caldos gordurosos, cheirando a vinagre de condimentacão ativa; e em outro, finalmente, "bacilos psíquicos de tortura sexual..."Fiquei estupefato." escreve ele. "As glândulas geradoras emitiam fraquíssima luminosidade, que parecia abafada por aluviões de corpúsculos negros, a se caracterizarem por espantosa mobilidade... As mais vigorosas daquelas feras microscópicas situavam-se no epidídimo, onde absorviam, famélicas, os embriões delicados da vida orgânica... Que significava aquele acervo de pequeninos seres escuros? Seriam expressões mal conhecidas da sífilis?"Respondendo às suas indagações íntimas, Alexandre esclarece: "Não, André, não temos sob os nossos olhos o espiroqueta de Schaudinn, nem qualquer nova forma suscetível de análise material por bacteriologistas humanos. São bacilos psíquicos da tortura sexual, produzidos pela sede febril de prazeres inferiores... Tem sido cultivados por esse companheiro, não só pela incontinência no domínio das emoções próprias, através de experiências sexuais variadas, senão também pelo contato com entidades grosseiras, que se afinam com as predileções dele, entidades que o visitam com freqüência, à maneira de imperceptíveis vampiros. ...A pretexto de aceitar o império da razão pura, na esfera da lógica, admite que o sexo nada tem a ver com a espiritualidade, como se esta não fosse a existência em si... O erro de nosso amigo é o de todos os religiosos que supõem a alma absolutamente separada do corpo físico, quando todas as manifestações psicofísicas se derivam da influenciação espiritual..."

VAMPIRISMO - Explica Alexandre: "Sem nos referirmos aos morcegos sugadores, o vampiro, entre os homens, é o fantasma dos mortos que se retira do sepulcro, altas horas, para alimentar-se do sangue dos vivos. Não sei quem é o autor de semelhante definição, mas. No fundo, não está errada. Apenas cumpre considerar que, entre nós, vampiro é toda entidade ociosa que se vale, indebitamente, das possibilidades alheias e, em se tratando de vampiros que visitam os encarnados, é necessário reconhecer que eles atendem aos sinistros propósitos a qualquer hora, desde que encontrem guarida no estojo de carne dos homens."

INFLUENCIAÇÃO - Saindo da reunião de desenvolvimento, André Luiz e Alexandre seguem alguns candidatos a caminho de casa, notadamente o jovem rapaz torturado sexualmente, e qual se ligam duas entidades profundamente inferiores, sua irmã, jovem madura e equilibrada, e sua mãe, egoisticamente vampirizada pelo marido desencarnado. Assim, conhece de perto a triste influenciação espiritual de que são vítimas, mãe e filho, e da capacidade de recepção de idéias superiores por parte da jovem, por manter-se ela em padrão vibratório elevado. Alexandre a utiliza para esclarecer os dois obsidiados, mas eles, desprezando a pouca idade e a inexperiência da jovem, ignoram seus conselhos.

A ORAÇÃO - Neste capítulo, tem André Luiz a feliz oportunidade de compreender melhor os benefícios da oração. O lar do jovem torturado, não obstante as infelizes e pertinazes companhias, permanece fluidicamente protegido, em virtude de sua esposa cultivar o hábito da oração e da vida reta. Amiga de Alexandre, a esposa Cecília vai ao seu encontro, mais tarde, em espírito, e lhe pede auxílio no amparo ao infeliz e desviado companheiro.

SOCORRO ESPIRITUAL - Mais tarde, Alexandre e André são abordados por velha amiga do Instrutor, Justina, que lhe implora auxílio para seu filho Antônio, prestes a desencarnar. Antonio precisa de mais alguns meses na carne, alega, e Alexandre dispõe-se a ajudá-la. Seguem para a residência de Antônio e Alexandre o encontra a beira de mortal apoplexia. Necessita do auxílio de um magnetizador encarnado e para isso solicita o auxílio do irmão Francisco, diretor de um grupo socorrista. Este, ciente da necessidade do momento, traz Afonso, em espírito e, com Alexandre funcionando como verdadeiro magnetizador, transfere para o moribundo os vigorosos fluidos do encarnado.

NO PLANO DOS SONHOS - Conta André: "Após alguns minutos de conversação encantadora, o irmão Francisco acercou-se do orientador, indagando sobre os objetivos da reunião da noite. Segundo informações anteriores, Alexandre dirigiria, naquela noite, pequena assembléia de estudiosos.Quase ao início da preleção, Alexandre é cientificado da ausência de dois companheiros, Vieira e Marcondes, e solícito, manda averiguar o que houve. Destaca Sertório, para tanto, enviando André em sua companhia. Chegando à casa de Vieira, encontram-no apavorado, quase desencarnando de medo frente ao "fantasma" de antigo companheiro, cuja presença evocara no jantar, lembrando-lhe as más qualidades, levianamente. Sertório vem em seu socorro, acordando-o, bruscamente.Marcondes encontra-se em pior situação: entidades femininas da pior espécie, mantêm-no retido no quarto e irritam-se com Sertório, quando este chega para saber do companheiro o que impediu seu comparecimento a palestra da noite. Marcondes desculpa-se, choroso, humilhado e Sertório o deixa ali, à mercê das entidades infelizes, sem despertá-lo, para, na manhã seguinte, a lembrança desagradável mostrar-se mais duradoura, fortificando-lhe a repugnância pelo mal.

MEDIUNIDADE E FENÔMENO - André Luiz calcula em aproximadamente pouco mais de cem encarnados, comparecendo ali pelo desdobramento do sono, constatando, porém que o número de desencarnados mostrava mais vasta expressão. Além do grupo do irmão Francisco, que trouxera os tutelados, outras associações da mesma natureza compareciam com os seus pupilos, interessados em novas instruções. O tema escolhido para a noite: mediunidade e fenômeno. E Alexandre exorta: "Não provoqueis o desenvolvimento prematuro de vossas faculdades psíquicas! Ver sem compreender ou ouvir sem discernir pode ocasionar desastres vultosos ao coração. Buscai, acima de tudo, progredir em virtude e aprimorar sentimentos. Acentuai o próprio equilíbrio e o Senhor vos abrirá a porta dos novos conhecimentos!"

MATERIALIZAÇÃO - Em companhia de Alexandre, André Luiz tem a oportunidade de examinar de perto o fenômeno da materialização, fato que lhe desperta imensa curiosidade. Observa os extremos cuidados com o ambiente, com os assistentes e com a médium, esquema este muito minucioso, envolvendo grande equipe de trabalhadores espirituais. Mas da parte dos encarnados, nota André que o fato não é levado muito à sério: os seus pensamentos, ansiosos por soluções particulares, desequilibram o ambiente, e um assistente, envolvido em emanações alcoólicas, precisa ser isolado especialmente, para não prejudicar a tarefa em curso.

INTERCESSÃO - Narra André: "Certa noite, finda a dissertação que Alexandre consagrava aos companheiros, meu orientador foi procurado por duas senhoras, que foram conduzidas, em condições especialíssimas, àquele curso adiantado de esclarecimentos, porquanto eram criaturas que ainda se encontravam presas ao veículos de carne e que procuravam o instrutor, temporariamente desligadas do corpo, por influência do sono. Eram Etelvina e Ester. A primeira, conhecida de Alexandre, pedia os obséquios do Instrutor para sua prima Ester, para solucionar a estranha morte de seu esposo, em plena via pública.Alexandre se dispõe a auxiliá-las. É cientificado por um humilde visitador desencarnado, de que Raul, o esposo, havia cometido o suicídio. Em companhia de André Luiz, localiza o recém-desencarnado, semi-inconsciente, junto à uma temível horda de vampiros, nas imediações de um frigorífico. O Benfeitor consegue subtraí-lo das mãos dos infelizes e carrega Raul consigo, visando seu despertamento para a nova realidade espiritual.

PREPARAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS - Após desemcumbir-se da tarefa intercessória, Alexandre foi procurado por Herculano, companheiro de elevada expressão hierárquica, no sentido de auxiliá-lo, e à sua equipe, no processo reencarnatório de Segismundo, antigo e querido amigo de ambos. Segismundo, que deveria reencarnar no lar de Raquel e Adelino, para resgatar pesados débitos com o casal, encontrava-se terrivelmente abatido e temeroso, pela reação hostil do futuro pai, que não lhe permitia a aproximação. Alexandre esclarece: "O caso é típico. O drama de Segismundo é demasiadamente complexo para ser comentando em poucas palavras. Basta, todavia, recordar que ele, Adelino e Raquel são os protagonistas culminantes de dolorosa tragédia, ocorrida ao tempo de minha última peregrinação pela Crosta. Em seguida a uma paixão desvairada, Adelino foi vítima de suicídio; Segismundo, do crime; e Raquel, do prostíbulo."Desejando acompanhar o amoroso Benfeitor, André Luiz é instruído a se preparar, previamente, acerca do processo reencarnacionista. Em "Nosso Lar", conduzido por Alexandre, André conhece o Centro de Planejamento de Reencarnações.

REENCARNAÇÃO - André Luiz: "Senti-me ditoso e emocionado quando Alexandre me convidou a visitar, em companhia dele, o ambiente doméstico de Adelino e Raquel, onde se verificaria a reencarnação de Segismundo."Vencidas dificuldades de aproximação entre pai e filho, os Espíritos Construtores dão início ao fascinante processo reencarnacionista de Segismundo. Conta André: "Meu amável instrutor, muito satisfeito com a nova situação, passou a examinar os mapas cromossômicos, com a assistência dos construtores presentes. Em vão procurava compreender aqueles caracteres singulares, semelhantes a pequenos arabescos, francamente indecifráveis ao meu olhar."Alexandre vem em seu socorro: "Este não é um estudo que você possa compreender, por enquanto. Estou examinando a geografia dos genes nas estrias cromossômicas, a fim de certificar-me até que ponto poderemos colaborar em favor de nosso amigo Segismundo, com recursos magnéticos para a organização das propriedades hereditárias."

PROTEÇÃO - No dia imediato à ligação de Segismundo ao novo corpo físico, André Luiz retornou ao lar de Raquel e Adelino, não encontrado, porém, a jovem mulher bem disposta como na véspera. Apuleio, o diretor da equipe de construtores esclareceu: "Nossa irmã Raquel começa a sentir o esforço de adaptação. Por enquanto, e, durante alguns dias, permanecerá indisposta; todavia, a ocorrência é passageira."André observa que, embora mantivesse ela o corpo em posição de repouso, mostrava-se superexcitada, inquieta. "Não conseguirá dormir?" - pergunta. "Mais tarde - responde Apuleio; por agora, terá o sono reduzido, até que se formem os folhetos blastodérmicos. É o serviço inicial do feto e não podemos dispensar-lhe a cooperação ativa."André Luiz tem a feliz oportunidade de acompanhar a gestação de Raquel, e conta: "O desenvolvimento da futura forma de Segismundo compelia Raquel a verdadeiros sacrifícios orgânicos; contudo, em cada noite, pela madrugada, repetiam-se as excursões espirituais que ela e o filho recebiam dos afetos de nosso plano. O trabalho de Herculano mereceu a cooperação de inúmeros amigos. Rara a noite em que não vinham Espíritos, agradecidos a Segismundo, velar pela harmonia de sua nova reencarnação, prestando à casa, aos pais e a ele os mais variados auxílios."

FRACASSO - Verificando o aproveitamento de André no caso Segismundo, Alexandre, sempre gentil, e procurando propiciar ao pupilo novos esclarecimentos, busca saber de Apuleio de algum caso de reencarnação junto a companheiros outros, distantes da responsabilidade moral observados no lar de Raquel e Adelino. E Apuleio lembra o caso Volpini. "Volpini -, diz - atingiu agora o sétimo mês de gestação da nova forma física, mas a noite próxima será decisiva para ele. Já recebi um apelo dos colaboradores que ficaram nas imediações do caso, no sentido de evitar certas extravagâncias da futura mãe, projetadas para hoje; entretanto, não creio sejamos por ela obedecidos. A organização fetal não se encontra em condições de suportar novos desequilíbrios, e, se a pobrezinha não despertar para o dever, abrirá, ainda hoje, uma terceira falência. Se André puder vir conosco, dar-nos-á muito prazer.André Luiz acompanha a imensa luta por preservar o vida de Volpini, porém a mãe, embriagada pelos prazeres fúteis, disposta a gozar a vida a qualquer preço, sai novamente, para mais uma noitada exótica.Então Volpini espírito é retirado da organização fetal e Cesarina, no dia seguinte, é internada às pressas, em gravíssimas condições. Fortemente impressionado, André fica sabendo que a infeliz acabara de dar à luz uma criança morta.

INCORPORAÇÃO - André Luiz: "Prosseguindo em meus estudos sobre os fenômenos mediúnicos de variada expressão, sempre que meus serviços habituais mo permitiam, regressava à Crosta, aprendendo e cooperando no grupo em que Alexandre funcionava na qualidade de orientador."Assim, ele tem a oportunidade de apreciar, de perto, um caso de incorporação mediúnica. Dionísio, antigo membro do grupo, já desencarnada, tem sua visita solicitada, com insistência, pelos companheiros ainda encarnados. Alexandre alerta para as dificuldades que poderão advir do intento. A médium destacada para a tarefa é Otávia, cuja autenticidade mediúnica, em outros tempos, fora posta em dúvida pelo próprio Dionísio. Acertados todos os detalhes, Dionísio é conduzido para a residência de Otávia, poucas horas antes da reunião. André Luiz, surpreso, conta que a médium se encontrava em delicado estado emocional, devido às agressões de seu marido Leonardo, homem violento e obsidiado. Restauradas suas forças, e perfeitamente sintonizada com o comunicante da noite, a reunião é levada a efeito, com Dionísio expressando-se emocionadamente através de Otávia.Mas, para decepção geral, amigos e parentes do desencarnado duvidam da manifestação mediúnica, insinuando tratar-se de mistificação.

DOUTRINAÇÃO - Terminavam os trabalhos de uma das reuniões comuns de estudos evangélicos, quando uma entidade muito simpática acercou-se de Alexandre e André Luiz: era mãe afetuosa, em busca do auxílio do abnegado Instrutor, visando uma nova doutrinação para Marinho, seu filho, e que fora padre na Crosta. A pobre mulher declara-se cansada, em profunda exaustão espiritual e Alexandre, penalizado, dispõe-se a auxiliá-la.Alexandre destaca Necésio, habilidoso trabalhador desencarnado, e experiente na tarefa de estabelecer contatos preliminares com entidades revoltadas. Marinho, triste habitante de ruínas sombrias, com outros companheiros de batina, deixa-se envolver pela simpatia e pelos argumentos de Necésio. Conduzido à uma Casa de doutrinação, revolta-se e tenta retroceder, mas os benfeitores organizam elementos para a materialização de sua mãe, quedando-se Marinho, afinal, em lágrimas ardentes de arrependimento e desejo de renovação.

OBSESSÃO - André: "A conselho de orientadores experimentados, o agrupamento a que Alexandre prestava preciosa colaboração, reunia-se, em noites previamente determinadas, para atender aos casos de obsessão. Era necessário reduzir, tanto quanto possível, a heterogeneidade vibratória do ambiente, o que compelia a direção da casa a limitar o número de encarnados nos serviços de benefício espiritual.""Todo obsidiado é um médium, na acepção legítima do termo?" - pergunta André, e Alexandre esclarece: "Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros, os desencarnados, todos o somos, em vista de serviços intermediários do bem que procede de mais alto, ou portadores do mal, colhido nas zonas inferiores, quando caímos em desequilíbrio. O obsidiado, porém, acima de médium de energias perturbadas, é quase sempre um enfermo, representando uma legião de doentes invisíveis ao olhar humano. Por isso mesmo, constitui, em todas as circunstâncias, um caso especial, exigindo muita atenção, prudência e carinho."Na reunião, presentes os obsidiados, em número de cinco: dois deles, uma senhora relativamente jovem e um cavalheiro maduro, demonstravam enorme agitação, dois outros, ambos moços e irmãos pelo sangue, pareciam completamente imbecilizados, e, por fim, uma jovem que se controlava com esforço, ante o assédio de que era vítima.Do grupo, ressalta Alexandre que apenas a jovem obterá algum benefício da reunião, por estar ela procurando a restauração das forças psíquicas, por si mesma. "Não está esperando o milagre da cura sem esforço e, não obstante terrivelmente perseguida por seres inferiores, vem aproveitando toda espécie de ajuda que os amigos de nosso plano projetam em seu círculo pessoal." - esclarece o Instrutor.

PASSES - Em companhia de Alexandre, André tem igualmente a oportunidade de assistir ao trabalho de passes. Observando os trabalhadores espirituais, envoltos em túnicas muito alvas, como enfermeiros vigilantes, André indaga de Alexandre se aqueles trabalhadores apresentam requisitos especiais. O Instrutor esclarece: "Sim, na execução da tarefa que lhes está subordinada, não basta a boa vontade, como acontece em outros setores de nossa atuação. Precisam revelar determinadas qualidades de ordem superior e certos conhecimentos especializados. O servidor do bem, mesmo desencarnado, não pode satisfazer em semelhante serviço, se não conseguiu manter um padrão superior de elevação mental contínua, condição indispensável à exteriorização das faculdades radiantes. O missionário do auxílio magnético, na Crosta, ou aqui em nossa esfera, necessita ter grande domínio sobre si mesmo, espontâneo equilíbrio de sentimentos, acendrado amor aos semelhantes, alta compreensão da vida, fé vigorosa e profunda confiança no Poder Divino. Cumpre-me acentuar, todavia, que semelhantes requisitos, em nosso plano, constituem exig6encias a que não se pode fugir, quando, na esfera carnal, a boa vontade sincera, em muitos casos, pode suprir essa ou aquela deficiência, o que se justifica, em virtude da assistência prestada pelos benfeitores de nossos círculos de ação ao servidor humano. Ainda incompleto no terreno das qualidades desejáveis."Apresentado a Anacleto, diretor dos trabalhos de passe, André pode analisar de perto o caso de uma senhora que havia discutido violentamente com o esposo, encobrindo, dessa forma, o coração e a válvula mitral com tenuíssima nuvem negra fulminatória, suscetível de ocasionar-lhe perigosa enfermidade. Observa também um homem, portador de temperamento muito vivo, e que na busca do domínio próprio, devido a conflitos recentes, produziu pensamentos terríveis e destruidores, que segregaram matéria venenosa, imediatamente, para o seu ponto orgânico mais fraco, o fígado. Além, acompanha o atendimento à jovem mulher grávida, pobre e desnutrida, à qual são fornecidos elementos nutritivos, para ampará-la e ao bebê. Finalmente, é levado a conhecer um caso de "décima vez": um cavalheiro, apresentando grave perturbações no baço, dado à discussões e provocações, e que já havia sido atendido nove vezes, anteriormente, com o socorro preciso ao desequilíbrio orgânico.

ADEUS - Narra André: "Esperava a continuidade de meus novos estudos, em companhia de Alexandre; todavia, com surpresa, o meu amigo Lísias foi portador de um convite que me destinara o caritativo instrutor. Tratava-se de uma reunião de despedidas."Não consegue deixar de experimentar sentimentos passionais, frente à notícia. Lísias, no entanto, o portador da novidade, o adverte: "Nada de egoísmo, André! Sabemos que Alexandre se ausentará em serviço, mas ainda mesmo que sua excursão fosse muito longa e plenamente consagrada ao repouso recreativo, cabe a nós outros, seus devedores, a participação da alegria de seus elevados merecimentos."André Luiz, reanimado pela palavra esclarecedora de Lísias, comparece, à noitinha, para a formosa reunião de despedidas. Com ele, os discípulos de Alexandre, sessenta e oito colegas, entre eles quinze mulheres. Após a palavra comovida de Alexandre, e o abraço carinhoso e individual, a sua prece encerra o encontro:"Senhor, sejam para o teu coração misericordioso todas as nossas alegria, esperanças e aspirações!"


12 comentários:

Adriana disse...

Esse é o meu livro preferido da série. Abraços fraternos a todos!

Laísa disse...

Com certeza um excelente livro Adriana!
No começo ele foi um pouco desafiador, mas depois... grandes lições.

Obrigada pela visita e volte sempre!

BGT disse...

Este livro é de grande auxílio ao ser humano. O conhecimento nele contido é de muita valia, no tocante ao nosso comportamento e pensamentos, os quais, refletem-se diretamente sob a nossa condição.
Luz a todos!

Roberto Rios Design Gráfico disse...

muito bom... Onde posso conseguir em pdf? você tem? Luz e Paz a todos

Roberto Rios Design Gráfico disse...

Encontrei...

Barthy disse...

Muito instrutivo,é o livro que todo espírita deveria ler...e riquíssimo em detalhes!

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

lucineia disse...

Esta é mais uma "magnífica" Obra do Chico,cada vez que releio aprendo algo diferente...Luz à todos

Anônimo disse...

Este livro foi mais fantastico do que eu imaginava. Me respondeu muitas perguntas sobre mim mesma. Luz a todos.

DALVI disse...

ESSE LIVRO É MARAVILHOSO NÃO SÓ PARA OS MEDIUS MAIS PARA TODOS QUE QUEREM SABER UM POUCO MAIS SOBRE O INTERCAMBIOCOM O MUNDO ESPIRITUAL

Anônimo disse...

Pooooo Vlw ae, ele é otimo para fazer os resumos que eu tenho que fazer, muito bom, és ó copiar LOL

André Dezão disse...

Excelente livro! Ainda não terminei de ler, mas até o capítulo 12 tem sido excelente.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails